quinta-feira, 5 de junho de 2008

Organização - O Primeiro Grande Passo


Após conscientizar-se sobre a importância que o NÃO irá exercer em sua reestruturação financeira, é chegada a hora de dar o primeiro passo.


Se você estivesse conversando com um amigo agora sobre o seu endividamento e ele perguntasse

Como isso tudo foi acontecer, o que deu de errado afinal?

Você provavelmente não saberia responder, pois a maioria das pessoas ficam endividadas por não levarem o seu orçamento na rédea curta, ou em casos piores por simplesmente não terem nenhum tipo de orçamento. Em breve falaremos de orçamentos, mas antes deles você precisa saber de onde o seu dinheiro veio e para onde ele está indo.

Para a maioria das pessoas o dinheiro vem uma vez por mês, no máximo duas, então fica fácil saber quanto e de onde veio. Portanto vamos pensar na parte mais grave do problema: o destino do dinheiro. Se você souber para onde vai o dinheiro, fica mais fácil montar um panorama geral dos gastos e de como eles acabam afetando suas dívidas.

Para começar eu recomendo uma solução bem simples, arranje um bloco de notas pequeno, que caiba no bolso, ande sempre com ele e anote TODAS as suas despesas, até as que você considera sem importância. No início é bem chato e você vai ter que dispor de muita força de vontade e paciência. Pode até parecer um esforço paranóico e exagerado, mas esses dados de despesas vão permitir que você possa localizar lugares por onde seu dinheiro escoa mais do que deveria.

E qual é a relação desse controle de despesas com suas dívidas? Muito elementar, caso você não tenha se dado conta: se você não fizer o dinheiro render mais, não vai ter como conseguir se livrar das dívidas! E não é querendo ser alarmista, mas a coisa é uma bola de neve, quanto mais você demorar para agir mais a dívida cresce, até começar a ficar incontrolável.

Usando o bloquinho mágico

O bloco de notas é uma ferramenta muito poderosa e bem simples de usar, mas vou sugerir algumas regras que vão facilitar as coisas na hora de registrar os dados:
  1. Use uma folha por dia, coloque a data no topo
  2. Seja curto-e-grosso, ao invés de anotar "pagamento de passagem de ida de ônibus" escreva "ônibus ida"
  3. Não arredonde, anote o valor exato, com cada centavinho, por exemplo, não anote "R$ 3" quando você gastou "R$ 2,65"
Uma folha típica do bloquinho deve parecer com:

05/06
ônibus idaR$ 2,40
refriR$ 2,50
almoço+sobremesaR$ 15,50
cafezinhoR$ 1,50
ônibus faculdadeR$ 2,40
lancheR$ 6,50
chicletesR$ 0,75
ônibus voltaR$ 2,40

E você deve estar se perguntando "Caramba, até o chiclete", e eu volto a dizer TUDO. Como forma de exercitar o poder de dizer não, imagine se uma pessoa tem este perfil de gastos exatamente igual todos os dias. Se este cidadão deixar de tomar um refri na cantina do trabalho, deixar de tomar um cafezinho no restaurante e deixar de comprar chicletes na faculdade, quantos reais por dia ele economiza? E por semana? Se você estiver com preguiça de calcular, posso dizer que num mês resultaria numa economia de R$ 95,00 - nada mal!

Alternativas

Você não precisa usar exatamente um bloquinho, eu quis dar uma solução que está ao alcance de todos. É claro que se você tem um PDA ou smartphone é melhor usar algum software mais adequado para isso. No meu caso, por exemplo, tenho um Nokia E62 e uso uma planilha: na primeira coluna tenho o dia, na segunda a descrição e na terceira o valor. O importante é anotar TUDO, SEMPRE, não importa a maneira, importa apenas que seja feito de forma eficiente.

Concluindo

Ao anotar todos esses dados de despesas diárias, você vai estar apto a preencher uma parte muito importante de qualquer orçamento, que é a seção de despesas variáveis. Como o nome diz, são despesas que podem assumir os mais variados valores (e as mais variadas relevâncias também). Na maioria dos casos a gente acaba resolvendo uma porção de problemas fazendo um controle rígido nas despesas variáveis, não apenas o problema das dívidas.

Não esqueça de que esse empenho todo não é para nos tornar sovinas, materialistas, , mas sim para nos tornar consumidores conscientes, e acima de tudo pessoas felizes, que não perdem tempo com coisas pequenas.

2 comentários:

Thorivaldo disse...

Maneiro o blog....boas dicas.

Fernando disse...

Muito orientadoras suas idéias.Bom que não se pode esqucer nada.Até o chicletinho tem que ser anotado na planinha de gastos.
Muito bom os detalhes!